segunda-feira, abril 25, 2011

O que eu sou


quinta-feira, abril 21, 2011

Preparativos belgo-pascais


uhmmm...para sobremesa, trifle de framboesa ?

sábado, abril 16, 2011

Exercícios práticos de memória II

RTP - PORTUGAL E O FUTURO - AS ENTREVISTAS

Entrevista a Ricardo Salgado no dia 12 de Abril último. Várias passagens interessantes. Em relação ao post anterior, é interessante ouvir o que diz Ricardo Salgado ao minuto 12h50.

segunda-feira, abril 11, 2011

Exercícios práticos de memória

Numa breve viagem ao passado proporcionada pelo google, visitei estas magníficas paragens:


"As derrapagens orçamentais são consequência do declínio drástico das receitas fiscais e das crescentes despesas sociais, como os subsídios de desemprego. Os governos vêem-se forçados a ir aos cofres públicos para fomentar o crescimento e o investimento e, deste modo, lutar contra a pior recessão económica desde a 2ª Guerra Mundial."
Retirado dum comunicado da Comissão europeia de 24 de Março de 2009. É pequeno e pode ser lido aqui, em português e tudo.

Alguns anos luz antes (Outubro de 2008) e enterrado sob longas camadas de sedimentos que nos impedem de aceder a informação tão pertinente, deparei-me com isto:

"Face à ameaça de recessão, o Conselho considerou que as regras da UE sobre os défices orçamentais, que limitam a dívida pública a 3% do PIB, devem ser aplicadas por forma a reflectir as actuais «circunstâncias excepcionais».
Esta passagem pré-histórica até agora desconhecida pode ser lida aqui, ou seja outro comunicado da Comissão europeia, no seu site, em português, a propósito duma Cimeira onde se debatera a crise.
Mas isto é só para geeks e curiosos de excentricidades que no mesmo site encontrarão outras "curiosidades", porque isto não interessa nada, nadinha, não explica nada, népias.

domingo, abril 10, 2011

Se dúvidas houvesse...

...quanto às "qualidades" governativas de Passos Coelho, esta notícia devia afastar qualquer veleidade:
"Jardim diz que Passos Coelho é o "estadista" que dará "futuro" a Portugal".
Cruzes canhoto...

sábado, abril 09, 2011

Respirar fundo


Aqui , mais que não seja em sonhos.
Para já, lá fora o Sol brilha e o ar está morno.
Bom fim-de-semana :)

quarta-feira, abril 06, 2011

Caça-alcoviteiros

Em reuniões de alto nível e à porta fechada há um acordo no sentido de divulgar cá fora apenas o que se decidir que deve ser divulgado. O acordo tácito até pode não ser o de não dizer nada, mas sim o que se deve dizer e como. Não são por acaso reuniões à porta fechada. O que tratam entre quatro paredes, mesmo os assuntos que afloram mais superficialmente, pode adquirir proporções especulativas desnecessárias se transpirar para o exterior .
Os membros destes grupos que assim se reúnem partilham uma confidencialidade que os une e pressupõe reciprocidade. É dessa partilha mais informal de opiniões que se espera uma coordenção de posições e soluções, para vantagens recíprocas. Supostamente.
De vez em quando há quem resolva divulgar o que foi dito e quase sempre o faz numa perspectiva muito própria. Quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto. Nem sempre dão a cara, mas mais tarde ou mais cedo descobre-se quem é. Deles conclui-se apenas que não se esforçam pelo objectivo assumido como comum daquelas reuniões. Só isso se pode concluir. O conteúdo das declarações em si tem menos valor e credibilidade que o acto da divulgação que , esse sim, nos diz muito sobre a reais intenções de quem participa nas ditas reuniões.
Regra geral , os apressadinhos nestas divulgações não duram muito. Ninguém gosta de traidores e delatores, nem mesmo aqueles a quem convêm as indiscrições.

Caça-mentiras

Soubessem as pessoas um pouco mais sobre o funcionamento das insituições, europeias ou nacionais, e não engoliriam tanto disparate divulgado por encomenda nos jornais.
A última pérola, a do empréstimo intercalar, é bom exemplo disso. Mas o que não falta são exemplos.

segunda-feira, abril 04, 2011

Técnicas de reprogramação

Ouvi a entrevista a Sócrates e agora passa na RTP uma reunião de jornalistas que comenta a dita entrevista. Maria João Avillez e Serra Lopes (não foi julgada pelo boato do Freeport?!) afiançam que já chega de Sócrates a vitimizar-se. E eu, humilde cidadã peço-lhes que já chega de diabolizá-lo. Provavelmente uma coisa existe graças à outra , não?! Como a treta da arrogância do PM, autoritarismo e tal. Não são maiores que a arrogância de partidos que também não cedem e insultam sem pensar duas vezes, e chamar-lhe autoritário quando não há bicho careta que não lhe chame tudo em qualquer pasquim, por favor.

Mas isso não é o mais importante, o mais importante não é nada disto, é injectar a doutrina deles nas nossas cabecinhas, perceber toda a malvadez, hipocrisia e demagogia do PM. Eles não são eleitos, mas eles é que sabem, eles é que sabem quem querem a governar o país e tudo farão para decidirem.

Tenho de esquecer o que sei do funcionamento da UE, do euro, da zona euro. O Mecanismo de Estabilização do Euro que estava prestes a ser aprovado na última cimeira não ia ter uma notação triplo A, não. Não ia permitir taxas de juro no máximo de 5% a quem a ela recorresse, não. Não estava desde já aberta a Portugal com as medidas do PEC IV que foram aprovadas pela Comissão, BCE e estados-membros da zona euro, não. A sua aprovação não seria a tentativa até agora mais credível de por termo à especulção sobre as dívidas dos países da zona euro, e sobre o próprio euro, não. E o facto de Portugal resistir ao FEEF+FMI não significa que contitui um obstáculo ao ataque da próxima vítima - Espanha. Não, nada disto afecta o euro em si, claro que não. Não nada disto aconteceu.

O culpado de tudo e mais um par de botas é o Sócrates. E ele que se cale que já estamos fartos que se vitimize e ainda se permite criticar o PSD por não ter apresentado um grama de programa. Autoritário e arrogante!


Eu , humilde cidadã comum também gostava de saber qual é o programa do PSD, desculpem lá a desfaçatez.


Náuseas...

sexta-feira, abril 01, 2011

Fox news versão lusa

Estou a ouvir Mário Soares na Conferência "Grandes debates do regime", transmitida na TVI24. Como grande estadista, passou em revista a realidade actual, causas da crise actual, pistas para o futuro. Fê-lo naturalmente na sua perspectiva, foi claro e não renunciou a assumir a sua ideologia, é honesto e recto.
Na TVI receiam seguramente que a sua versão dos factos chegue aos portugueses e estes comecem a pensar pela própria cabeça. Assim, de 5 em 5 minutos, interrompeu o discurso de Mário Soares permitindo a uma senhora comentadora que nos dissesse : " o que Mário Soares quer dizer é isto..." , mas tudo alicerçado na premissa :" este é um homem que já não é do seu tempo". Tudo o que Mário Soares disse foi ou apresentado como tendo dito o contrário ( quando MS recordou por ex a natureza mundial da crise, a comentadora apressou-se a martelar os erros do actual primeiro-ministro como causas desta crise), ou foi apresentado como já não sendo um homem do seu tempo, ou seja desvalorizando por completo a mensagem do orador junto do potencial ouvinte.
Já não bastavam as dezenas de programas de comentário político que se seguem a qualquer intervenção dum governante, para nos dizerem o que "realmente" se passou, agora, é mesmo durante a intervenção dum orador que surge o filtro interpretativo da figura do comentador. Vale tudo para filtrar a informação e adulterá-la. Não há informação no meu país, neste momento, há um simulacro de diversidade informativa. Um simulacro generalizado, no meu país só há a Fox News. Isto é horripilante.