quarta-feira, março 16, 2011

Ainda me lembro

dos jornais nos bombardearem com a absoluta necessidade do fim da maioria absoluta em Portugal. Apesar da experiência com o governo de Guterres, mas era Guterres, não era Barroso, talvez seja por isso...
Hoje bombadeiam-nos com a crise, que se esforçam por colar ao nome do PM, PM esse cujas palavras a TSF por exemplo não apresenta em registo audio, apesar de apresentar as de dois comentadores (um deles uma tal de Judith Menezes de Sousa, será quem eu estou a pensar?!). No DN o editorial refere o auge do jogo e do dramatismo com a última cartada de Sócrates, o DN está bem colocado para falar de dramatismos e cartadas, é o que vale. Estamos em crise política, clamam todos e agora sim, fotos do PM junto a estas palavras é o que não falta. Afinal, ainda é ele que lidera o governo português, nos últimos anos tenho-o visto tão retirado dos lugares de destaque nos jornais que andava convencida que era Cavaco em coligação com Passos Coelho e Francisco Louçã.
Daqui a uns tempos quando a austeridade actual parecer um brincadeira de crianças e às gafes, golpadas e arcaismos do PR se juntarem as inépcias de PPC e as medidas do FEEF e do FMI, ouvirei os cidadãos clamar na rua ou nos blogues ou cafés que o país está mal, é tudo uma corja e tal.
Não tendes credibilidade nenhuma. Mas uma coisa é certa, mereceis plenamente a comunicação social e a oposição que tendes. Ou será que não?

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home