quinta-feira, outubro 28, 2010

Andam nisto, portanto

Sobre o orçamento, não há acordo. Temos de respeitar imposições que aprovamos em Bruxelas. Injustas , na minha opinião, mas é neste barco que estamos e não podemos decidir sózinhos. OCDE, BCE, CE deram o beneplácito, Durão Barroso invocou imperativos, o Finantial Times veio a terreiro e o BCE também mandou recados.
Porém, uns dizem que não podem ceder por causa destas imposições, os outros que não cedem porque o que pedem é essencial.
Não houve acordo. Há quem diga que era previsível. Há quem imagine que tudo acabará com abstenção no dia D. Há quem clame pelo FMI .
Entretanto, os mercados reagem previsivelmente e os juros da dívida disparam. A tal dívida, que era suposto diminuir com o orçamento de 2011...
Tudo para não perder a face perante os potenciais eleitores (quem disse que não temos o nosso quê de chineses?), tudo isto com a mira em hipotéticas futuras vitórias eleitorais. Jogadinhas de xadrez baratas que sairão caras aos portugueses.
Estou só a recapitular para memória futura, minha.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home