quarta-feira, setembro 01, 2010

O Outro

Falarei da minha experiência que vale o que vale, é evidente. Ao longo destes 37 aninhos, que já vão gordos, a caminho dos 38, foi isto o que eu vi:
das pessoas que conheço já há umas três ou quatro pessoas que aprenderam português e muitas mais que passaram a conhecer melhor Portugal e a cultura lusofona em geral. Falo com eles nas suas línguas e não na minha.
Neste aninhos também, resolvi aprender inúmeras línguas, vou observando países que nunca me chamaram, nunca me "namoraram". Existem indiferentes à minha pessoa. E passam a existir quando olho para eles e vou vendo cada vez mais. As minhas ideias foram-se moldando em múltiplas direcções, os gostos também.
O que teria sido eu sem este contacto jamais saberei. Nem me interessa.
Esta é a constante mudança . E nada pode ser feito para alterá-la. O jogo não é esse. Plante-se assim um outro junto de outro e espere-se para ver o que germina. Paciência, pode levar anos. Mas o que é isso, anos...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home