segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Há coisas que não entendo

...e uma delas é a aversão de parte da população portuguesa ao TGV. Talvez por poder ver na prática as vantagens do TGV aqui em Bruxelas. Custa-me vê-lo numa perspectiva meramente negativa ou maioritariamente negativa. É tão fácil, tão cómodo, menos poluente. Nem sei que diga. Para além disso é maioritariamente financiado por fundos comunitários que se não forem utilizados para a construcção do TGV (no âmbito das RTE, Redes transeuropeias) serão pura e simplesmente perdidos, i.e. não poderão ser utilizados para nenhuma outra política.
Por vezes é cansativo esta tendência de parte da nossa população em ser tão avessa à mudança, seja ela qual for. A primeira reacção é sempre Não, Contra! A cautela e reflexão são úteis, sem dúvida, mas isto parece mais um fenómeno de afirmação adolescente.
Lia no Agência Finaceira o seguinte parágrafo:
"(...) Há uma grande diferença na opinião pública espanhola relativamente à portuguesa. Em Espanha já existe TGV e todos podem ver o efeito em Toledo, Ciudad Real, Sevilha, Córdoba e Saragoça», considerou."
É verdade que muitos portugueses nunca experimentaram viajar num TGV, nem viveram em países onde existe e perceberam as vantagens. Mas que dizer de quem critica e tem obrigação de ter viajado e conhecer estas realidades? ...

6 Comments:

Blogger Claudette Guevara said...

Se bem que o TGV que ligará Porto-Coruña, não será TGV, por questões técnicas que tem que ver com linhas, paragens e velocidades atingidas. Será antes um pendular que atingirá os 220 km/h já em Espanha.

Mas estou de acordo contigo. Só que as informações que chegam ao povo, são as que vêm pelos media.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009 4:44:00 da tarde  
Blogger Sofia C. said...

Claudette,

Os media,claro. Se bem que nos media também encontramos quem defenda a ideia. Será uma questão de representatividade das opiniões nos media oumesmo de pendor conservador (no sentido de avesso à mudança) desta parte da população portuguesa? Sinceramente não sei, um pouco das duas coisas, talvez. Sofia

terça-feira, fevereiro 10, 2009 12:43:00 da manhã  
Blogger Claudette Guevara said...

Na maior parte das vezes, não creio que as opiniões contra ou a favor nos media sejam determinantes para fazer opinar mais de metade da população contra o TGV. Às vezes basta uma palavra (chave) para despoletar uma posição. Como p.ex. referirem o valor total da obra, sem mais explicações. Assusta qualquer um...

Já agora, deixo-te um link para um conjunto de opiniões num blog do Minho: aqui.

terça-feira, fevereiro 10, 2009 4:30:00 da manhã  
Blogger Sofia C. said...

Claudette,

Concordo contigo. As opiniões têm a vantagem de apresentarem frontalmente uma perspectiva. Já uma notícia com dados selccionados sabe-se lá porque critérios nos induz muito mais em erro. Como aliás já tantas vezes por aqui comentamos.
Obrigada pelo link para o blog:-)

terça-feira, fevereiro 10, 2009 1:14:00 da tarde  
Blogger Raimundo Narciso said...

Não creio que haja na população uma opinião desfavorável à AV. O que há é na opinião publicada. E que tem a ver predominantemente com a barganha partidária.

domingo, fevereiro 22, 2009 2:54:00 da manhã  
Blogger Sofia C. said...

Raimundo,

É bom ouvir a sua opinião. Quando estou longe de Portugal só tenho acesso à opinião publicada (à excepção da opinião de alguns amigos e sobretudo dos pais) e acabo por me deixar levar, erro que já devia saber evitar, é verdade.

sábado, fevereiro 28, 2009 11:03:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home