quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Cada um tem o que merece...

Chegada a esta idade, trinta e seis anos, deparo-me com uma língua, leia-se idioma, que me mói o juízo. Estou a falar do Mandarim. É muito estranho ouvir uma frase e percebê-la mas não conseguir escrevê-la ou lê-la (ou até repeti-la correctamente). Ou então perceber o sentido de uns caracteres e não fazer a mínima ideia de como se pronunciam.
A minha memória tem claramente uma limitação de velocidade para fixar caracteres chineses. Avança mas muito devagar. Pudesse eu aprender a escrever mandarim com o nosso alfabeto e outro galo cantaria. Mas não canta e este galaró chinês dá-me luta. Me likey! yummmy!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home