terça-feira, janeiro 06, 2009

Realidade e percepção da realidade

Conversava eu com a Noémia que é minha vizinha e agricultora. Votos de bom ano e saúde para cá e para lá, o dia hoje está tão lindo, céu azul e muita luz e tal. Sim, porque aqueles dias cinzentos de chuva já nos estavam a dar cabo do juízo. Pois é, responde-me ela, mas um dos poços que eu e o meu marido usamos para regar uma das fazendas ainda está seco, como se fosse Verão. E eu que ia jurar que já tinha chovido tanto... e ela também. Mas não, nem deu ainda para repor niveis freáticos, pelo menos por aqui.

É por estas e por outras que devemos sempre corroborar a nossa percepção da realidade com dados mais concretos.

Isto lembra-me o que lia na Visão, que a percentagem da população activa que aufere o salário mínimo é de 4,5%. Será verdade? A dúvida surge por duas razões: primeira porque desconfio de todo e qualquer número que apareça nos media e segunda porque ao ouvir falar e escrever alguns dos meus compatriotas diria que essa percentagem é muito superior dado que "este" país é um pardieiro de pobres e incapazes e etc e tal. A sério que já não sei em que devo acreditar.

E motivos não me faltam. Na última Visão surge uma comparação de dados estatísticos entre Portugal e Espanha na secção Sociedade. A fonte, dizem-nos é a Península Ibérica em números 2008 . Fiz uma busca no Google e concluo que é o resultado dum estudo conjunto dos INE dos dois países, até aqui tudo bem. Mas há números que me parecem estranhos.
Na primeira fila surge a esperança de vida: 74,9 para portugueses e 83,7 para os espanhóis. Pesquiso no estudo e noutros dados do INE e concluo que a Visão compara a esperança de vida dos homens portugueses com a das mulheres espanholas, aha?! Porquê? ...

Depois, na segunda fila a taxa de desemprego em 2008 foi de 8,1% em Portugal e 8,3% em Espanha. Fui pesquisar nas mesmas fontes e concluo que a Visão compara a pior taxa de Portugal de 2008 com a melhor de Espanha para o mesmo ano. Ora, como sabemos Espanha terminou o ano com quase 11% de taxa de desemprego...

Neste link podemos ler um breve artigo com uma apresentação muito mais isenta dos dados do estudo, o que não é difícil. É menos sensacionalista e catastrofista e bota-abaixo, isso sim. Depende da percepção da realidade que nos querem impingir, mas também só a engolimos se quisermos, não é?

3 Comments:

Blogger Claudette Guevara said...

Clap, clap, clap!

Hibernaste por uns tempos, mas agora é tempo de renascer! eh!eh!eh!

Sobre a percentagem da população activa que aufere o salário mínimo, penso que o problema está na população activa (inscritos). Os outros estão lá mas não se vêm. (e sobre este assunto "tenho" umas historinhas que, infelizmente, não posso contar).

Beijos

terça-feira, janeiro 06, 2009 4:56:00 da tarde  
Blogger S said...

Claudette,

Pois é, desconfio que explicação mete economia paralela, números oficiais e oficiosos e também a nossa percepção das coisas.

De facto despertei duma longa hibernação. É o chamado efeito "férias", reanima qualquer um;-)

terça-feira, janeiro 06, 2009 7:55:00 da tarde  
Blogger Sinapse said...

Palmas daqui também! ora aqui está outro post excelente!!

quarta-feira, janeiro 07, 2009 1:17:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home