quinta-feira, junho 28, 2007

Entao e no sotao do Louvre nao há nadinha?

Diz-nos um artigo do DN de hoje que uma múmia que se encontrava no Museu do Cairo foi identificada como sendo a da rainha Hatshepsut. E onde estava a dita cuja? No sotao. No sotao?!
Curiosamente no El Pais de ontem lia-se a mesma noticia com o seguinte título: "La reina dormia en el sótano". Pois é, só que "sótano"em castelhano significa "cave" em português. Sao os chamados falsos-amigos. Já que se apresentam notícias largamente inspiradas nas de outros meios de comunicaçao pelo menos podiam traduzir bem.
Tradutore, traditore já diz o ditado, mas neste caso desconfio que o que faltou foi mesmo a maozinha de um verdadeiro tradutor. Em Portugal toda a gente desenrasca uma traduçaozinha, pois é, pois é:" Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecao".
NB1: A César o que é de César, foi a minha amiga E., assídua leitora do El Pais que me chamou a atençao para este episódio caricato.
NB2: Estou num teclado sem til.

quarta-feira, junho 27, 2007

Post coradinho

Reparei agora que recebi um "prémio" da Pitucha do "No cinzento de Bruxelas". Já há uns tempos Raimundo Narciso do Puxa-palavra tinha tido a amabilidade de me fazer uma referência semelhante que eu claramente não mereço.
A verdade é que eu nunco ando a par destes prémios confesso e por esse motivo não costumo atribuí-los (aproveito para explicar aquilo que poderá ter passado por falta de educação digital;-) . Até porque depois inicia-se a típica troca de galhardetes online que corresponde, mais ou menos aquelas cenas muito portuguesas nos restaurantes ou cafés quando todos querem pagar uma conta.
Desta feita também não mereço o prémio em causa, mas...adorei o nome do prémio: Blogues femininos com garra. É pá gostei, gostei mesmo. Obrigada:-))
Pronto agora tenho de esquecer o prémio senão vou escrever para ser uma mulher com garra, para agradar e a coisa assim não funciona ou torna-se artificial, não sei se me faço entender...

Venha de lá um pratinho...

Aprendi hoje que os tempos verbais em Mandarim se traduzem no acrescentar de uma única partícula para todos os "passados" e para todas as pessoas e de uma única partícula para todos os nossos tempos do Futuro e para todas as pessoas. Fantástico. Vai ser fácil.
Agora só falta conseguir pronunciar correctamente;
Recordar-me dos tons certos na sílaba certa;
Não esquecer e não confundir o vocabulário já aprendido;
Não esquecer e não confundir os caracteres já aprendidos;
Reconhecer o que me dizem...
...ou seja, é canja, canjinha,hi,hi...ai meu Deus, no que é que eu me fui meter...bom, quem corre por gosto não cansa...

terça-feira, junho 26, 2007

Bagagens

A esta vida chegamos com alguns talentos. Destes, há os que serão imediatamente trabalhados e aperfeiçoados pelo meio circundante. Outros, ou não estavam lá ou foram ignorados.

Não sei se na minha mala quando cheguei trazia a noção exacta de Sim e Não. Conta-me quem me acompanhou desde o início que utilizava as duas palavrinhas sem modéstia nem hesitações. Algures pelo caminho perdi essa capacidade. Algures pelo caminho veio intrometer-se uma capacidade de empatia que me impede de dizer um não claro, com respeito ou um sim aberto, com limites.

Admiro, tenho mesmo uma pontinha de inveja por quem profere estas duas palavrinhas com um sentido de auto-preservação desarmante.

Por esta vida fora tenho vindo a recuperar a capacidade de usá-las sem que me açambarquem o braço quando dou só a mão, ou sem que se limitem a rondar ao largo.

Nem todos trazemos as mesmas coisas na nossa bagagem. A minha tem outras qualidades.A de respeito próprio e alheio está lá. Já é meio caminho andado. A outra tenho vindo a recupera-la. Constato.

sábado, junho 23, 2007

E E(U)la lá vai pulando e avançando...



Líderes europeus chegam a acordo sobre Tratado reformado. Ler mais notícias here, ici e aqui.

Agora é caso para dizer que a bola está no campo da Presidência portuguesa da UE (clicar para aceder ao site).


Devo dizer que acho genial o logotipo escolhido. Se derem um salto ao site verificarão que o logotipo tem uma versão animada em que a flor vai adquirindo as cores das bandeiras de cada estado-membro.

sexta-feira, junho 15, 2007

A minha proposta de solução

Estava eu ontem ao almoço numa esplanada com a minha amiga M., alegremente conversando, quando ela desabafou que tem dormido mal. As rotas dos aviões do aeroporto de Zaventem (também conhecido como Aeroporto Internacional de Bruxelas, embora não seja em Bruxelas, não sei se algum lisboeta conseguirá perceber esta realidade, verdadeiramente inconcebível na foz do Tejo...), mas dizia eu, as rotas dos aviões mudaram, passam agora por cima do seu apartamento a partir das 6 da manhã. Entenda-se, passam a uma distância em que se consegue reconhecer mal a companhia aérea. Não passam a uma altura em que se percebe se o senhor de bigode dormiu mal durante o vôo transatlântico e qual a marca dos pneus do trem de aterragem...

Aqui em Bruxelas e arredores o ruído dos aviões, à distância já mencionada, é considerado um atentado grave à qualidade de vida dos seus habitantes que vêem a poluição sonora e atmosférica como um incómodo que não vale os 10 minutos que levariam de casa ao aeroporto se este estivesse por exemplo na Place Meiser. Já para não falar na eventualidade de um acidente...

Em Lisboa nunca ouvi ninguém queixar-se de tal coisa. A não ser eu, que estremeço ali para os lados da avenida do Brasil de cada vez que um avião se faz à pista. Eu sou de facto pouca coisa face ao milhãozito que vai vivendo sem se questionar demasiado. A noção de conforto é uma coisa relativa.
Bem sei que os lisboetas começam a abrir mão da ideia de ter o aeroporto no pátio das traseiras, embora acalentem o ideal dum eterno aeroporto da Portela (dixit Primeiro Ministro num debate na Assembleia da República:A solução ideal seria o aeroporto continuar onde está, mas...).
Descobre-se em cada alfacinha um perito ambiental, um engenheiro em potência ou o simples interesseiro disfarçado. Qualquer solução que não seja muito longe vale a pena. Há quem diga que o aeroporto é de Lisboa e sem ele o sucesso económico da capital é posto em causa (aconselho uma ida a outras capitais europeias para deixarem de dizer coisas tão provincianas, enfim...).


Por isso proponho: uma mudançazinha. Os lisboetas vêm para Bruxelas e nós vamos para Lisboa. O povo daqui agradece e depois, acho, que para os de cá até a Ota será perto demais.
Já os lisboetas terão o aeroporto a apenas 20 km, estranharão nos primeiros tempos os aviões um pouco distantes, mas ainda assim com esforço conseguirão ouvi-los.
Vão adorar estar a 1h20 de Paris e 2h e pouco de Londres. Vão achar chiquíssimo, in, tudo o que quiserem. Haverá mesmo quem pense que chegou finalmente à civilização. Também vão adorar poder falar "estrangeiro"...ou fingir pelo menos. Os homens vão ter muitas louras e as mulheres muito homem com mais de 1,75m.

Por estas bandas ama-se o compromisso.Já o feitio português é muito dado ao debate infindável (ainda agora, em 2007, querem recomeçar a debater todas as hipóteses alternativas à Portela), cada cabeça sua sentença. Claro que em pouco tempo teríamos um bloqueio mas eu nessa altura já não estou cá...


...estarei em Lisboa, eu e cerca de 40 000 mil europeus felizes :-)))


*Foto com vista da futura esplanada onde viremos refrescar-nos à hora do almoço.

quarta-feira, junho 13, 2007

Let's take a walk on the far east side...

Começou tudo com o longo post anterior e agora a coisa já ganhou vida própria. Qual coisa, perguntarão?
Ora bem, a minha incursão pelos canais nipónicos e chineses.
Vejamos o canal NHK, japonês, tem versões em várias línguas. Destaco a versão em inglês e em português, embora exista em bengali, francês, etc... . Para além da informação dada nessas línguas, tem links para programas com cursos de japonês. O "Nihongo passo a passo" é apenas um exemplo para lusofalantes. Fantástico!!
O CCTV internacional, canal chinês em versão inglesa, tem naturalmente a sua versão em mandarim, cantonês mas também espanhol e francês. Inclui noticiários, programas com cursos de chinês ("Learning Chinese" que se pode ver online), Chinês para turistas ("Travel in chinese"), cultura chinesa ("Chinese civilization").
Eu sei que nem todos são doidos por línguas e culturas diferentes, mas acho isto fantástico. Ver o mundo pelos olhos dum canal chinês ou japonês não me dirá muito mais sobre o mundo mas abre-me uma janela para a visão que estes dois povos têm do mundo e portanto uma janela directa para o que eles são. Irresistível! Vou "espiolhar"...

De passagem...

...pelo Luxemburgo dou por mim sem conseguir dormir já a noite ia avançada. Antigamente dormia em qualquer lugar. A cama ou o quarto de hotel tinnham de ser muito inóspitos para me perturbarem o sono. Agora é assim. Não há roídinho, nesga de luz, frigorífico com estertores ou cheiro desconhecido que não me incomode. A minha primeira noite num hotel salda-se por poucas horas de sono. No dia seguinte há que trabalhar, é este o detalhe que faltava.
Bom, como o sono não vinha resolvi ver o que dava na televisão. O aparelho estava mesmo em frente à cama com o relógio em números digitais luminosos (muito desagradável, mesmo em frente à cama, este hotel não tem preocupações Feng Shui, claramente).
Foi assim que descobri uma, não perdão, duas pérolas. A primeira foi um canal chinês internacional, o CCTV4. Do que pude perceber estavam a fazer uma retrospectiva de grandes cantores populares desde os anos 80 até agora. Posso dizer que nem todos envelheceram bem, mas alguns são prodígios da juventude. Os estilos musicais eram variadíssimos, do rock ao pop, do music hall à música de inspiração patriótica. Comecei a interessar-me pelo antes e o depois. É fácil ver quem foram as Madonnas do Império do meio. Há quem tenha ficado na estética comunista/pirosa, há quem tenha aderido claramente às sucessivas vagas e se mantenha à tona. Temos os gays não assumidos, temos as mocinhas eternamente virgens quais bonecas de porcelana...mas também temos roqueiras e alternativos. O estilo da apresentação é de pompa e circunstância, Hollywood ou Las Vegas não andam longe.
Resolvi mudar de canal. Passei do Meio para o Sol nascente. Percebe-se pelo baixar ritmado e recorrente das cabecitas. E claro a língua. O estilo do canal NHK é também mais depurado na apresentação das notícias (falo da estética, não faço ideia do que diziam). O Oriente adora gadgets electrónicos. A certa altura uma reportagem apresentava um Gps para ciclistas. O mocinho (mais estilo menino da mamã é impossível) percorria uma cidade mostrando tudo o que pode fazer com o GPS que lhe vai dizendo coisas à medida que avança. Bom, daqui a uns meses ou anos já sei o que vem por aí.
Depois , um programa genial: Cool Japan. Dois apresentadores rodeados de estrangeiros (tinham um brasileiro que nem era de origem japonesa). Durante uma semana os estrangeiros procuram coisas tipicamente japonesas e que consideram "cool". O brasileiro e a australiana descobriram máquinas de distribuição de bebidas que falavam várias línguas, inclusive português. No fim de tudo ganharam os "smileys" numerosíssimos que os japoneses enviam por sms. Os japoneses queriam ouvir da boca de estrangeiros como são "cool". Só um holandês renitente se manteve mais ou menos céptico...
Voltei ao canal chinês, o sono não vinha. Como as canções tinham todas a letra legendada, resolvi tentar identificar caracteres chineses que já tenha aprendido nas minhas aulas de ultra principiante. Surpresa agradável: identifiquei algumas. Predominavam o 1, a negativa , ele, ela, nós,tu, eu, também, ainda, nascer e árvore. Não percebi muito das letras das músicas...mas o sono veio. Melhor que contar carneiros. Recomendo!

sexta-feira, junho 08, 2007

Ideias para o fim-de-semana...



Boa encenação e boa representação neste teatro que ainda nunca me desiludiu. O restaurante de tapas do Teatro Le Public vale a pena e é uma boa maneira de começar a noite. Recomendo que levem um leque ou qualquer coisa que sirva esse fim. A sala não tem ar condicionado e como sabem está um calor sufocante...

Com um bocado de sorte, este fim-de-semana chove uma daquelas enxurradas que desanuviam.


Na Cinemathèque Royale continua o ciclo sobre Humphrey Bogart, iniciado no Centro Flagey. Para além da piada que continua a ter ver filmes daquela época "as time goes by", é interessante (re)descobrir este actor. E depois, há sempre o prazer de ver no grande ecrã o encontro de Boogie com Lauren Bacall em To have and have Not ou o inesquecível Casablanca (entre outros). Play it Sam...


terça-feira, junho 05, 2007

Então mas ele não dizia que fazia o queria com o Euro?

Dette et déficit : les pays de l'euro rappellent la France à ses engagements, lê-se no Le Monde de hoje (clicar para ler o artigo na íntegra).

Na sua panóplia de afirmações ultra seguras e plenas de sapiência, Sarko referiu várias vezes que baixava a taxa cambial do Euro, seguiria à sua maneira, o Procedimento de défice excessivo, etc... só que isto foi em época eleitoral.
Agora o público é outro e não vai nas mesmas cantigas. O que não significa que ele não tente. Este foi só o primeiro round...

sábado, junho 02, 2007

Boas notícias para começar o fim-de-semana...

...faz Sol, a temperatura é ideal, estou de bom humor

e




Temos um novo filme com o meu actor asiático preferido: o actor taiwanês Chen Chang . Chama-se Breath ou Souffle na versão francesa do título. É do coreano Kim Ki-Duk e foi um dos filmes presentes no Festival de Cannes.



Clicar aqui para ver outra passagem do filme.

sexta-feira, junho 01, 2007

Feliz dia da Criança...

a todas aquelas que ainda o são e a todas e todos aqueles que já o foram.
A propósito duma infância feliz, instruída, respeitada deixo aqui o link para o programa Sociedade Civil do canal 2 e para o respectivo blog (o 1º link dá acesso ao site de multimédia da RTP canal 2, basta clicar no icone relativo ao programa) .
Este programa apresentou ontem um desenho animado de educação sexual para a faixa etária dos 7 aos 10anos a que se seguiu debate com peritos para que os pais pudessem decidir se os filhos devem ver o filme. O filme chama-se "Então é assim..." e passa hoje na 2 às 20h30.
Eu que já aqui critiquei os nossos meios de comunicação social aproveito agora para registar a boa qualidade deste programa. Um exemplo.

Indulging myself

Mr World 2007 . Foi através do blog Sexualidade feminina que descobri este concurso. O blog foi uma agradável descoberta e o concurso...também.
Comecei torcendo o nariz às escolhas de Mr.s, não são bem o meu estilo, aha, uhmmm, não, não... e depois dei por mim a passar em revista os seleccionados, pondo defeito aqui, vendo qualidades ali. Sim, um belo "six pack" e meio palmo de cara dão boa disposição.